Rio de Saúde: Conheça melhor algumas frutas originais do Brasil

domingo, 1 de fevereiro de 2015

Conheça melhor algumas frutas originais do Brasil


Mais de 300 espécies nativas. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano, que estuda as frutas com potencial econômico, dá uma pista das árvores frutíferas nativas que são exploradas comercialmente no Brasil: araticum, cajuí, caju, cajá, acajá, umbu, macaúba, buriti, babaçu, jatobá, goiaba, araçás, pitanga, jabuticaba, cagaita, jenipapo e maracujá.




Tem mais:

Abiu (Lucuma caimito; Sapotaceae), da Amazônia

Abiu-cutite

Abiu-do-cerrado

Abiu-piloso

Abiu-preto (Pouteria ramiflora; Sapotaceae), Amazônia e Centro-Sul do Brasil

Abiu-roxo

Aboirana

Abricó (Mammea americana; Clusiaceae)

Abricó-da-flórida

Abricó-da-praia

Abricoteiro-do-mato (Mimusops coriacea; Sapotaceae)

Abutua-grande

Açaí (Euterpe oleracea; Palmae), da Amazônia

Acaíba

Acara-uba

Achachairu

Achuá (Sacoglittis guianensis), do Brasil

Acumã 

Acuri

Aguaí-guaçu

Ajarí (Glycoxilon pedicillatum)

Ajuru (Chrysobalanus icaco), do Brasil

Ajuru-preto 

Aki

Alexia

Alfarroba (Ceratonia siliqua; Fabaceae)

Algarobo (Prosopis ruscifolia), do Brasil 

Algodãozinho 

Amanina '

Amapá (Parahancornia amapa; Apocynaceae)

Amarula

Ameixa-brava

Ameixa-da-caatinga

Ameixa-da-mata

Amêndoa (Amygalus communis)

Amendoim-de-árvore

Amendoim-de-bugre

Amora-do-mato

Anajá

Angá

Angúria

Anona-lisa

Apuruí

Araçá (Psidium cattleianum, Psidium araça; Myrtaceae). do Brasil

Araçá-boi (Eugenia stipitata; Myrtaceae), do Brasil

Araçá-cagão (Annona cacans), da Mata Atlântica e do Cerrado do Brasil

Araçá-da-serra (Calycoreotes acutatus), do Brasil

Araçá-de-água

Araçá-de-anta (Bellucia grossularioides), do Brasil

Araçá-de-anta-vermelha

Araçá-do-mato

Araçá-do-rio-grande

Araçá-roxo (Psidium rufum; Myrtaceae), do Brasil

Araticum

Aroeira-vermelha (Schinus terebinthifolius; Anacardiaceae), várias formações

vegetais do Brasil

Babaçu (Orbignya speciosa; Palmae), Amazônia e Mata Atlântica na Bahia

Bacaba (Oenacarpus distichus), Amazônia

Bacupari (Rheedia brasiliensis ou Rheedia gardneriana; Gutiferaceae ou Garcinia

brasiliensis/Garcinia cochinchinensis Clusiaceae), do Brasil

Bacupari-miúdo (Posoqueria acutifolia), do Brasil

Baru (Dipteryx alata), das matas e cerrados do Brasil Central. Espécie ameaçada.

Biribá (Rolinia mucosa; Annonaceae)

Brejaúva (Astrocaryum aculeatissimum), Mata Atlântica

Buriti (Mauritia flexuosa; Palmae), brejos de várias formações vegetais

Fruta-pão (Artocarpus altilis; Moraceae)

Burmese uva (Baccaurea ramiflora ouBaccaurea sapida; Euphorbiaceae)

Cabeluda (Eugenia tomentosa; Myrtaceae)

Cacau (Theobroma cacao; Sterculiaceae), da Amazônia

Cagaíta (Eugenia dysenterica; Myrtaceae), cerrados brasileiros

Cajá (Spondias mombín; Anacardiaceae), do Brasil

Cajá-grande (Spondias venulosa; Anacardiaceae), do Brasil

Cajá-manga (Spondias dulcis; Anacardiaceae)

Cajá-redondo (Spondias macrocarpa; Anacardiacea), do Brasil

Caju (Anacardium occidentale; Anacardiaceae), da região costeira do N e NE do
Brasil

Cajuí (Anacardium giganteum; Anacardiaceae), do Brasil

Cambucá (Plinia edulis)

Camu-camu (Myrciaria dubia; Myrtaceae), também chamada guavaberry, da Amazônia 

Caqui-do-cerrado (Diospyros hispida), do Brasil

Caqui-do-mato (Diospyros brasiliensis), do Brasil

Carambola (Averrhoa carambola; Oxalidaceae), também chamada star fruit, da Ásia

Carnaúba (Copernicia prunifera), NE do Brasil e Pantanal

Castanha-da-áfrica (Blighia sapida ou Cupania sapida; Sapindaceae)

Castanha-do-pará ou castanha-do-brasil (Bertholletita excelsa; Lecythidaceae), da Amazônia

Cempedak (Artocarpus champeden; Moraceae)

Chupa (Gustavia speciosa; Lecythidaceae)

Coco (Cocos nucifera; Palmae)

Cuieira (Crescentia cujete L.), da Amazônia

Cuiarana (Buchenavia tomentosa), do Brasil 

Cumaru (Dipteryx odorata), do Brasil

Cupuaçu (Theobroma grandiflorum; Sterculiaceae)

Curiola (Pouteria ramiflora), do cerrado brasileiro

Durião (Durio spp.; Bombacaceae)

Embaúba-vermelha (Cecropia glaziovii)', do Brasil

Feijoa (Feijoa sellowiana), do sul do Brasil

Fruta-da-condessa (Annona reticulata; Annonaceae )

Fruta-de-tatu (Chrysophyllum soboliferum; Sapotaceae), do cerrado brasileiro

Fruta-do-conde (Annona squamosa; Annonaceae )

Goiaba (Psidium guajava; Myrtaceae), do Brasil e América tropical

Groselha preta (Ribes nigrum)

Groselha vermelha (Ribes rubrum)

Grumixama (Eugenia brasiliensis; Myrtaceae), da Mata Atlântica pluvial do Brasil

Guabiju (Myrcianthes pungens; Myrtaceae), da Mata Atlântica brasileira, nas florestas de altitude do S e SE

Guabiroba (Campomanesia eugenioides), do Brasil

Guabiroba-branca (Campomanesia neriiflora), do Brasil

Guabiroba-da-mata (Campomanesia xanthocarpa), do Brasil

Guaçatunga (Casearia decandra), do Brasil

Guaçatunga-grande (Casearia rupestris), do Brasil

Guaraná (Paullinia cupana; Sapindaceae) da Amazônia

Guariroba (Syagrus oleracea; Palmae), SE e NE do Brasil

Ibapobó (Melicoccus lepidopetalus), do Brasil

Ingá (Inga cylindrica), do Brasil

Ingá-branco (Inga laurina), do Brasil

Ingá-cipó (Inga edulis), da Amazônia

Ingá-dedo (Inga sessilis), do Brasil

Ingá-ferradura (Inga cylindrica), do Brasil

Jaboticabarana (Plinia rivularis; Myrtaceae), do Brasil

Jabuticaba (Myrcia cauliflora; Myrtaceae), da Mata Atlântica brasileira

Jaci (Attalea butyracea), da Amazônia

Jaracatiá (Jacaratia spinosa), do Brasil

Jarana-mirim (Lecythis chartacea), do Brasil

Jatobá (Hymenaea courbaril;Leguminosae Caesalpinoideae), do Brasil

Jenipapo (Genipa americana; Rubiaceae), do Brasil

Fruto-de-keppel (Stelechocarpus burakol; Annonaceae)

Jutaí (Dialium guianense), do Brasil

Langsat (Lansium domesticum; Meliaceae), também chamada longkong ou duku
Licuri (Syagrus coronata; Palmae), da Mata Atlântica brasileira

Lobeira (Solanum lycocarpum; Solanaceae), do cerrado do Brasil

Louro-branco (Porcelia macrocarpa), do Brasil

Mabolo, (Diospyros discolor; Ebenaceae) também conhecido como um velvet persimmon

Sapota (Pouteria sapota; Sapotaceae)

Maçã-de-água (Eugenia/Syzygium aquem; Myrtaceae )

Maçaranduba (Manikara huberi), do Brasil

Maçaranduba-mirim (Manikara salzmannii), do Brasil

Macaúba (Acrocomia aculeata; Palmae), das matas do N ao SE brasileiros

Mamão-do-mato (Carica quercifolia; Caricaceae), do Brasil

Mamica-de-cadela (Brosimum gaudichaudii), do cerrado brasileiro

Mamoncillo (Melicoccus bijugatus; Sapindaceae), também conhecido como quenepa ou genip

Mangaba (Hancornia speciosa; Anacardiaceae)

Mapati (Pourouma cecropifolia), do Brasil

Maracujá (Passiflora sp.; Passifloraceae)

Marajá (Pyrenoglyphis maruja), da Amazônia

Marang (Artocarpus odoratissima; Moraceae), do tipo da fruta-pão

Fruta-manteiga-de-amendoim (Bunchosia argentea; Malpighiaceae)

Mari (Geoffroea striata), do Brasil

Maria-preta (Diospyros obovata), do Brasil

Marmelada-nativa (Alibertia edulis), dos campos da Amazônia

Marmelinho (Diospyros inconstans), do Brasil

Marmelinho-do-campo (Alibertia sessilis), do Brasil

Marolo (Annona crassiflora), do Brasil

Monguba (Pachira aquatica), da Amazônia

Murici (Byrsonima crassifolia), do N e NE do Brasil 

Murici-da-mata (Byrsonima stipulacea), do Brasil

Murici-do-cerrado (Byrsonima coccolobifolia), do Brasil

Murici-miúdo (Byrsonima spicata), do Brasil

Murici-pequeno (Byrsonima verbacifolia), do Brasil

Olho-de-boi (Zizyphus oblongis), do Brasil

Murmuru (Astrocaryum ulei), da Amazônia

Murumuru (Astrocaryum murumuru), da Amazônia, principalmente Pará e Ilha
de Marajó

Pau-de-jacu (Pourouma guianensis), do Brasil

Pepino-do-mato (Ambdania acida), do Brasil

Pequiarana (Caryocar microcarpum; Caryocaceae), do Brasil

Pequi (Caryocar brasiliense; Caryocaceae), do cerrado brasileiro

Perta-güela (Gomidesia affinis), do Brasil

Pimenta-de-macaco (Xylopia aromatica), do cerrado brasileiro

Pindaíba (Dugetia lanceolata), do Centro-Oeste, SE e S do Brasil

Pinha-da-mata (Rollinia sericea; Annonaceae), do Brasil

Pitanga (Eugenia uniflora; Myrtaceae) da Mata Atlântica brasileira

Pitaya (Hylocereus spp.; Cactaceae)

Pitomba (Talisia esculenta; Sapindaceae), do cerrado brasileiro

Physalis ou Camapu ou Capote ou Saco de bode (Physalis peruviana; Solanaceae)

Pupunha (Bactris gasipaes; Palmae), da Amazônia

Quina (Strychnos pseudo-quina), do Brasil

Rambutan (Nephelium lappaceum; Sapindaceae)

Salak (Salacca edulis; Arecaceae)

Sapota-do-solimões (Matisia cordata), da Amazônia

Sapoti (Achras/Manilkara zapota; Sapotaceae)

Caimito (Chrysophyllum caimito; Sapotaceae)

Sapucaia (Lecythis pisonis), da Mata Atlântica brasileira

Saputá (Salacia elliptica), do Brasil

Sorvinha (Couma utilis), da Amazônia

Tapiá (Crateva tapia), do Brasil

Tatajuba (Bagassa guianensis), do Brasil

Uricuru (Attalea phalerata), da Amazônia

Umari (Poraqueiba sericea), do Brasil

Umbu (Spondias tuberosa; Anacardiaceae)

Umiri (Humiria balsamifera), do Brasil

Uvaia (Eugenia uvalha; Myrtaceae), da Mata Atlântica brasileira

Uxi (Endopleura uchi), do Brasil

Veludo (Guettarda viburnoides), do Brasil

Xixá (Sterculia chicha), da Mata Atlântica do Brasil





-->

Populares para o gosto do brasileiro e que 
não são nativas




Jaca


graviola
banana
carambola

O nome de algumas frutas não é muito familiar algumas bem mais: 

Manga
Graviola
Pinha
Tamarindo
Romã 
Abacate
Acerola
Jaca
Uva
Jambo
Carambola
Abacaxi
Goiaba
Cacau
Caju
Morango (Chile/EUA)
Coco-da-BaÍa
Morango (Chile/EUA)
Banana (Sudeste Asiático)
Mamão (México)
Laranja (China)
Maçã (Eurásia)
Jaca (Índia)

As espécies nativas destacam-se no comércio de frutas frescas, na produção de matérias-primas para a agroindústria - suco, geléias, licores, polpa, bolachas, compotas, sorvete -, indústria farmacêutica e indústria de cosmético. "Além disso, muitas dessas frutas são importantes fontes de alimento e de sustento para as populações de baixa renda em várias partes do país, fixando o homem no campo", explica a professora Flávia.

Pense nas frutas mais consumidas no seu dia a dia: banana, maçã, laranja, limão. Você sabia que nenhuma delas é original do Brasil? Elas foram trazidas para cá por estrangeiros de diversas regiões: as frutas cítricas, por exemplo, são asiáticas, já a acerola e o abacate, originárias da América Central. Até mesmo a banana, símbolo da tropicalidade, acredita-se ter surgido na Ásia.

As frutas típicas do Brasil são mais exóticas: buriti, caraguatá, ingá, mangaba – frutas que alimentavam os índios antes mesmo de os colonizadores chegarem –, já outras se popularizaram pelo Brasil, como o maracujá, o guaraná, o açaí e a jabuticaba. 

Conheça melhor algumas frutas originais do Brasil e inclua na sua dieta as delícias do nosso país:


Açaí

Apesar de ser um fruto altamente calórico, a gordura do açaí é benéfica, contribuindo para a redução do colesterol ruim (LDL) e o aumento do colesterol bom (HDL). Assim, ele age na prevenção de doenças cardiovasculares, além de ser rico em fibras e proteínas.


Cupuaçu

Muito utilizado para fazer sucos, sorvetes, vinhos e licores, o cupuaçu contém vitaminas, minerais e pectina, uma fibra solúvel que ajuda a manter os bons níveis de colesterol.


Pequi

Semelhante a uma pequena laranja, muito comum no interior de Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso do Sul, é a fruta que mais contém vitamina A no mundo!


Caju

Esta fruta possui nada mais, nada menos, que três vezes mais vitamina C do que a laranja. O caju é rico em fibras e minerais, como cálcio, fósforo e ferro, e vitaminas do complexo B.

Castanha do Pará

Possui dois nutrientes valiosos: o selênio e a vitamina E. Ambos são antioxidantes que bloqueiam os radicais livres, responsáveis pordestruir as células e, ao longo do tempo, pelo aparecimento de doenças cardiovasculares e câncer.

Apesar de saborosas e nutritivas, as frutas mais exóticas, como o pequi, a cabacinha-do-campo e o bacuri, estão em risco. As espécies menos conhecidas só se mantêm porque vingam naturalmente nas florestas tropicais, nos cerrados e na caatinga. Mas, por não serem plantadas, enfrentam ameaças de extinção.

Você conhecia estas frutas brasileiras? Qual a sua favorita? Há um péde alguma fruta exótica na sua casa? Conte pra nós nos comentários!


           

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...