Desativar para: inglês

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Confira tratamentos na superação do estresse pós-traumático

Uma pessoa desenvolve TEPT (Transtorno de Estresse Pós-Traumático), quando após algum evento traumático, começa a ter diversas lembranças do acontecimento, ou passa por alguma situação que tenha características parecidas com a do evento traumático, e isso provoca nela sensações de medo, tristeza, ansiedade e dor. 

A pessoa também passa a apresentar sintomas de evitação, deixando de fazer determinadas coisas, não indo a lugares e nem se expondo às situações que fazem com que ela se lembre do trauma e que tenha tais sensações.


Publicidade
Quem vive em uma grande metrópole como São Paulo está diariamente sujeito a diversas situações de grande violência, como assaltos, sequestros, assassinatos e acidentes de carro. 
São situações de grande estresse, que podem nos levar a desenvolver TEPT (Transtorno de Estresse Pós-Traumático) sem que percebamos. Inicialmente até confundimos algumas evitações com meros cuidados, mas com o tempo a situação pode ir se agravando, e o simples fato de assistir uma cena na televisão ou ver uma reportagem em um jornal pode desencadear todas as sensações ruins vivida naquele momento. 

Outras situações de trauma também podem fazer com que o individuo desenvolva TEPT, (Transtorno de Estresse Pós-Traumático) como catástrofes naturais, graves acidentes de trabalho, entre outros.

Muitas vezes, esses sentimentos de medo e ansiedade nos fazem perder momentos muito bons e importantes na vida, o que gera muita dor e tristeza, e pode desencadear um processo depressivo ainda mais grave.

Dosagemde exames podem dar alterados
Como em todos os quadros de estresse, existem vários marcadores biológicos que podem ficar alterados e que são instrumentos auxiliares no diagnóstico de estresse pós-traumático:
Dosagem do cortisol (o hormônio do estresse)
Dosagem dos hormônios da hipófise
Dosagem dos hormônios da tireoide
Dosagem dos hormônios sexuais
Uma polissonigrafia pode nos revelar as consequências do estresse pós-traumático no sono 

Tratamento
Nesses casos a análise do comportamento pode ajudar muito, sendo um lugar acolhedor no qual o indivíduo pode falar abertamente sem receio de ser criticado ou ridicularizado por seus medos e sensações. A psicóloga também se utilizará de técnicas para promover uma mudança comportamental. 
Uma técnica muito utilizada nesses casos é a dessensibilização sistemática, composta por quatro etapas:  treino de técnicas de relaxamento, elaboração de uma escala hierárquica de ansiedade, planejamento de exposição gradual ao evento que traz sensações ruins, juntamente com o relaxamento. O objetivo final é a superação do trauma e a retomada da normalidade na vida do paciente. Autora: Ingrid Machado (Psicóloga)

Tratamento e cuidados nos casos mais grave
O tratamento preferencial é a Terapia cognitivo-comportamental (TCC) por seis meses a um ano, complementada, em algumas ocasiões, com o uso de fármacos como os ansiolíticos ou os antidepressivos de última geração. Quando os tratamentos são associados, psicoterapia e o uso adequado de psicofármacos, tem-se obtido melhores respostas terapêuticas.

Medicamentos para Transtorno do estresse pós-traumatico
Os medicamentos mais usados para o tratamento de transtorno de estresse pós-traumático são:
Assert
Paroxetina
Rivotril
Sertralina

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. 
Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula. 

Confira  técnicas bastante simples para ajudar a relaxar

Faça contagem regressiva olhando para cima  
Essa técnica ajuda a relaxar, já que aumenta a concentração em uma tarefa e tira a atenção do que está causando ansiedade. "É preciso se concentrar em algo para relaxar. Fazer contagem regressiva, a partir do 60, bem devagar.

Além disso, olhar para cima estimula sistema nervoso, o que ajuda a reduzir a pressão arterial e diminui o ritmo da respiração, causando a sensação de relaxamento.

Anote as preocupações em um caderno
Esse método aumenta a concentração, evita distrações e avisa o cérebro que é preciso desacelerar. "Quando fazemos isso, a mente entende que as preocupações estão 'guardadas' e não devem ser resolvidas naquele momento, diminuindo a ansiedade".

Segundo a psicóloga, anotar as preocupações em um caderno também ajuda a acabar com insônia. "Algumas vezes muitas tarefas que não conseguimos realizar durante o dia nos impedem de relaxar e dormir. Colocar tudo no papel vai ajudar a nos ?livrar? daquilo até o dia seguinte".

Relaxe os músculos
Outra manifestação física da ansiedade é a contração involuntária dos músculos, que causam tensão e muito desconforto. Os músculos que mais sofrem com o estresse são os do pescoço, costas e pernas. "A ansiedade, por mais que seja psicológica, se manifesta fisicamente. É comum cruzar as pernas e deixar os músculos das costas e do pescoço enrijecidos".

Para desfazer os nós dessas regiões, é importante fazer pequenas seções de alongamento. Aposte em movimentos circulares, realizados lentamente, com o pescoço, pulsos e tornozelos, para aliviar as tensões da musculatura.

Leia um gibi
O hábito da leitura leve, como a de um gibi, é uma boa saída para relaxar em momentos de tensão. "Outras leituras mais complexas e longas podem causar muita distração, o que, após alguns minutos, faz a ansiedade e o estresse voltarem ainda mais intensos". Ler uma revista ou notícias curtas de um jornal também ajuda a evitar pensamentos que trazem angústia.

Bolinha de tênis
Caso esteja em casa, coloque a bolinha de tênis entre as suas costas e uma parede. Inicie a massagem nos pontos em que a tensão é maior. Depois, passe a massagear o ombro e toda a região próxima do pescoço, para relaxar os músculos dessa área.

Carregue o lanche certo
Experimente parar para fazer um lanchinho. Nos momentos de ansiedade, a mastigação ajuda a relaxar alguns músculos do pescoço. No entanto, escolher o lanche certo é essencial para afastar a ansiedade e o estresse
"Alimentos bastante práticos e fáceis de transportar, como castanhas e laranja, contém selênio e vitamina C, respectivamente. Esses dois nutrientes melhoraram o funcionamento do sistema nervoso, evitando a ansiedade".
Procure um grupo de apoio
Encontre outras pessoas que estão lutando com alguns dos mesmos sintomas e dificuldades, o pode ser uma experiência poderosa. Falar sobre sua experiência traumática pode ajudá-lo a ser liberto do TEPT.


Complicações possíveis TEPT (Transtorno de Estresse Pós-Traumático)
Os fatores de estresse são facilitadores para o desenvolvimento de doenças com repercussões imediatas e à longo prazo, podendo ocasionar problemas crônicos e interferir na qualidade de vida. Podem ocorrer alterações clínicas como: problemas cardíacos, astroduodenais, diabetes, queda da imunidade com infecções frequentes, hipertensão, fibromialgia e outras doenças reumáticas entre outras complicações.

Dentre as complicações psíquicas do estresse pós-traumático estão:
Distúrbios do humor
Depressão
Transtornos de ansiedade
Alcoolismo
Transtorno obsessivo-compulsivo (TOC)
Transtornos somatoformes
Transtornos dissociativos
Transtorno de personalidade


Publicidade

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...